Doença celíaca – Dieta Isenta de Glúten

O que é a doença celíaca?
A doença celíaca é uma doença autoimune do intestino, que tem por base uma predisposição genética, conduzindo a uma intolerância permanente ao glúten.
A ingestão de glúten nestes indivíduos desencadeia uma reação inflamatória crónica a nível da mucosa intestinal, com lesões e atrofia das vilosidades intestinais e diminuição da capacidade de absorção de nutrientes, tendo como consequência o emagrecimento e perda de massa muscular.

Quais os sintomas?
 A doença pode apresentar-se de forma variável, dependendo de vários fatores como a idade de início da doença, extensão da lesão da mucosa intestinal, a quantidade de glúten ingerido, etc..
Esta doença pode manifestar-se de diversas formas entre as quais: diarreia, distensão abdominal, dor abdominal, anorexia, atraso de crescimento, perda de peso, atrofia muscular, alterações comportamentais, entre outros.

Quais os tratamentos?
O tratamento da doença celíaca passa pela realização de uma dieta isenta de glúten durante toda a vida. O glúten deverá ser totalmente excluído da alimentação, uma vez que sempre que seja ingerido serão desencadeados os sintomas referidos anteriormente.

O que é o glúten e em que alimentos o podemos encontrar?
O glúten é uma proteína presente em todos os alimentos que contenham trigo, centeio, cevada e aveia. A batata, arroz, amaranto, quinoa, milho, mandioca, tapioca, trigo-sarraceno, alfarroba, araruta e sorgo são considerados os únicos cereais onde não existe glutén, pelo que podem ser incluídos nas confeções. Existem ainda farinhas/féculas especiais sem glúten que podem também ser utilizadas na confeção.

A seguir apresenta-se uma tabela resumo com:
– Alimentos permitidos, que podem ser consumidos por serem naturalmente isentos de glúten;
– Alimentos que podem ter vestígios: necessitam de leitura atenta e cuidada do rótulo para confirmar se o alimento contém glúten ou vestígios;
– Alimentos não permitidos: não devem ser consumidos, por conterem glúten na composição.

sdfsdf

Existem alguns ingredientes não permitidos, que se estiverem presentes no rótulo do alimento, este deverá ser rejeitado:
– Trigo, Centeio, Cevada, Aveia e seus amidos,
– Amido modificado,
– Proteína vegetal, Fibras alimentares e Proteína hidrolisada (se derivado dos cereais não permitidos ou se não indicar origem),
– Malte e xarope de malte, Extrato de malte,
– Aditivos do grupo dos E-14XX.

Conselho da nutricionista:
A leitura atenta dos rótulos alimentares é muito importante para garantir que o alimento é realmente “isento de glúten”. Se verificar na lista de ingredientes vestígios de glúten ou não tiver a designação de “isento de glúten” não o deverá consumir. Deverá ter atenção redobrada em restaurantes, pastelarias e casas de amigos/familiares evitando panados, molhos, sopas e purés de batata (pois podem ser engrossadas com farinhas de trigo). Garanta que os utensílios utilizados na cozinha são diferentes para confecionar as refeições com e sem glúten, para que não haja contaminação cruzada entre alimentos. Sempre que esteja em dúvida se o alimento contém ou não glúten deverá evitar o seu consumo. Em caso de dúvida consulte o seu nutricionista.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s